Glossário
Termos utilizados no Meu Dinheiro, organizados dentro das respectivas seções do manual.
Introdução
  1. 1.
    Gerenciamento financeiro: é o conjunto de processos, métodos e ações que permitem controlar, analisar e planejar suas atividades financeiras.
  2. 2.
    Controle de orçamento: é a definição de previsões e metas de todas as suas movimentações financeiras. É a avaliação das suas receitas com as despesas, para saber se resultará em lucro ou prejuízo.
  3. 3.
    Contas a pagar: são todas as despesas que você ainda não realizou o pagamento, como por exemplo: o seu condomínio, se ainda não registrou o pagamento dele, é uma conta a pagar.
  4. 4.
    Contas a receber: são as receitas que você tem para receber, como por exemplo: o seu salário, ele é uma conta a receber.
  5. 5.
    Fluxo de caixa: é o movimento de entradas e saídas de dinheiro das suas contas. Basicamente, é um gráfico com o que você recebe e o que paga.
  6. 6.
    Meta de receitas: é um valor definido para quanto você quer receber. Por exemplo: imagine que você tem um negócio de venda de perfumes, e em um determinado mês você almeja ganhar 1.000,00 com a venda dos seus itens, no seu controle financeiro no Meu Dinheiro, você pode definir uma meta de receita de 1.000,00 para a sua categoria "venda de perfumes". E então, você verá de forma mais fácil se está perto de bater a sua meta ou não.
  7. 7.
    Meta de despesas: é um limite definido para certos gastos. Por exemplo: imagine que você percebeu que vem tendo gastos muito altos com as suas compras no supermercado, e definiu que quer gastar até 300,00 por mês com esse tipo de compra. No Meu Dinheiro é possível definir uma meta de despesas de 300,00 para a sua categoria "supermercado", e assim, visualizar de forma mais fácil se você está abaixo ou se extrapolou a sua meta.
  8. 8.
    Meta de economia: é um valor que você define para economizar todo mês. As metas de economia te auxiliam em objetivos de médio e longo prazo, sugerindo, inclusive, o quanto você deve economizar mensalmente. Esse tipo de meta pode ser útil em economias para comprar a casa própria, um carro novo, fazer uma reforma, montar ou ampliar um negócio, por exemplo.
  9. 9.
    Centro de custos e lucros: os centros são formas de simplificar as suas categorias. Eles agrupam uma ou mais categorias. Centro de custo contempla suas categorias de despesa, e centro de lucros contempla suas categorias de receitas. Por exemplo: as suas categorias de "salário" e "renda extra" estarão no seu centro de lucros, já as suas categorias de "conta de energia", "supermercado" e "conta de gás" estarão dentro do seu centro de custos.
  10. 10.
    Favorecido: aquele que foi auxiliado.
  11. 11.
    Pagador: aquele que paga ou que foi encarregado de fazer pagamentos.
  12. 12.
    Categorias: As categorias classificam os seus lançamentos em diferentes áreas da sua vida, por isso, elas são personalizáveis, para você escolhê-las de acordo com os seus gastos e receitas. Conte com elas para descobrir, por exemplo, quais categorias estão entre as suas maiores despesas e receitas do mês. Além disso, as categorias também te ajudam no acompanhamento de metas de receitas e despesas para melhor controle do seu orçamento.
  13. 13.
    Subcategorias: dentro de cada categoria é possível definir subcategorias. Por exemplo: a sua categoria "compras" pode ter subcategorias como "compras/roupas", "compras/sapatos", "compras/bijuterias" e assim por diante. Todas as subcategorias também são personalizáveis e definidas por você.
  14. 14.
    Metas de orçamento: é a tela em que é possível definir suas metas de receitas, metas de despesas e metas de investimentos. As metas te ajudam no planejamento financeiro, através do estabelecimento de metas mensais por categoria.
  15. 15.
    Consolidar: tornar estável, fortalecer.
  16. 16.
    Saldo: é a diferença entre o crédito (valor na conta) e o débito (valor gasto) que determina o valor total disponível numa conta bancária, que equivale ao seu saldo.
  17. 17.
    CDI: é a sigla para Certificado de Depósito Interbancário – nome dado aos empréstimos que os bancos fazem entre si para fechar o caixa do dia com um saldo positivo. E como todo empréstimo, os bancos também pagam juros que, neste caso, são definidos pela Taxa CDI. Portanto, o CDI é uma taxa que reflete o quanto os bancos estão ganhando de juros por emprestar dinheiro para outros bancos. Por isso, o CDI é geralmente classificado como uma taxa de juros no mercado financeiro e essa taxa pode ser usada em vários outros tipos de investimentos.
  18. 18.
    IPCA: é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo e é um indicador considerado o termômetro oficial da inflação no Brasil. Esse indicador serve para medir a variação dos preços de um conjunto de produtos e serviços vendidos no varejo e consumidos pelas famílias brasileiras.
  19. 19.
    Ele é o indicador de referência para o sistema de metas de inflação, criado em 1999. Segundo esse sistema, o país se compromete a adotar estratégias para conseguir manter a inflação dentro de uma faixa fixada periodicamente pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para entender o impacto das variações do IPCA sobre a sua vida financeira – em especial, sobre os seus investimentos – é importante conhecer o conceito de rentabilidade real. Trata-se da rentabilidade obtida com uma aplicação, descontada a inflação. Na prática, ela representa o quanto o investidor ganha de fato.
  20. 20.
    IBOVESPA: é o Índice da Bolsa de Valores de São Paulo. Ele é o principal indicador de desempenho médio das ações listadas. Esse índice é uma carteira teórica de ações que contém os ativos que movimentam os maiores volumes de negociação. Entre eles, estão Petrobras (PETR4), Vale (VALE3) e Ambev (ABEV3), por exemplo. No mercado, ele é muito conhecido como o índice Bovespa ou IBOV. Por conta da sua representatividade, o Ibovespa é considerado o benchmark da renda variável. Então, se você quer saber como está o seu desempenho, basta compará-lo ao IBOV. Caso ele esteja maior ou igual, em termos de valorização, é sinal de que os seus investimentos estão indo bem
  21. 21.
    Ações: são pequenas partes de uma empresa, então, comprar uma ação significa virar dono de um pequeno pedaço daquela empresa. Para isso acontecer, a empresa precisa ser uma Sociedade Anônima de Capital Aberto e estar devidamente registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão estatal responsável por regular e fiscalizar o mercado de valores mobiliários brasileiros.
  22. 22.
    Opções: o mercado de opções trabalha com expectativas futuras. Nele, é possível vender e comprar, hoje, um direito de comprar ou vender um ativo, por um preço específico em uma data específica, no futuro. As opções são como contratos que selam acordos de compra ou venda de um ativo no futuro. Ele funciona como um mercado mesmo, com diferentes contratos (opções), a diferentes preços e prazos, e disponíveis para quem quiser comprar ou vender.
  23. 23.
    FIIs: os Fundos imobiliários ou FIIs são controlados por uma gestora de fundos e contam com um gestor especializado, que junto com uma equipe acompanha diariamente o mercado imobiliário e faz a administração do patrimônio do fundo e dos ativos dentro dele.
  24. 24.
    Direitos de subscrição: É quando uma empresa dá preferência para cotista e acionista comprarem novas ações que serão comercializadas no mercado, afim de que os atuais acionistas possam manter o mesmo nível de participação no negócio.
  25. 25.
    REITs: É um m investimento de renda variável na bolsa de valores norte-americana que significa Real Estate Investment Trusts. O termo se refere a empresas que são criadas para focar em investimentos no mercado de imóveis nos Estados Unidos. É bem similar à ideia de fundo de investimento imobiliário praticada no Brasil.
  26. 26.
    ETFs: Sigla para Exchange Traded Fund. São Fundos de Investimentos negociados em Bolsa que captam recursos para adquirir ativos e montar uma carteira que siga algum índice do mercado como referência. Ao investir em ETFs o investidor se expõe a uma carteira de ativos como forma de ganhar com a valorização geral do mercado sendo uma forma de investir em várias empresas de uma única vez por meio do Fundo.
  27. 27.
    Nasdaq: Sigla para National Association of Securities Dealers Automated Quotations (Sistema Automatizado de Cotações da Associação Nacional de Corretoras de Valores). E uma bolsa de valores americana, especializada principalmente em listar grandes empresas do setor de tecnologia.
  28. 28.
    NYSE: A NYSE (New York Stock Exchange) é a Bolsa de Valores de Nova Iorque, Estados Unidos.
  29. 29.
    Fundos de investimento: Os fundos de investimento são uma modalidade de aplicação financeira coletiva. Eles reúnem recursos de diversos investidores que repassam as decisões de investimento a um gestor profissional. Podem participar tanto pessoas físicas quanto jurídicas com o objetivo de obter ganhos financeiros a partir da aplicação em títulos e valores mobiliários. Isso quer dizer que o recurso é utilizado para comprar bens (títulos) que são de todos os investidores, cabendo a cada um uma parte proporcional ao valor investido. Um fundo é organizado em forma de condomínio e o patrimônio é dividido em cotas. O valor de cada cota é calculado diariamente por meio da divisão do patrimônio líquido pelo número de cotas do fundo.
  30. 30.
    Títulos de capitalização: Os títulos de capitalização são aplicações programadas durante um prazo pré-estabelecido. O proprietário do título também tem o direito de concorrer a sorteios de prêmios em dinheiro. A rentabilidade costuma estar associada à Taxa Referencial. A depender do contrato, o valor é ser resgatado poderá ser menor do que o aportado.
  31. 31.
    Títulos bancários:
  32. 32.
    CDB: Certificado de Depósito Bancário. É um título de renda fixa utilizados pelos bancos para captação de recursos. Ao comprar um CDB, você empresta dinheiro para o Banco e recebe juros em troca.
  33. 33.
    RDB: Recibo de Depósito Bancário. É um título de crédito emitido por instituições financeiras que querem captar recursos para viabilizar suas atividades.
  34. 34.
    LCA: Letra de Crédito do Agronegócio é um tipo de investimento em renda fixa isento de Imposto de Renda. São títulos utilizados para captar recursos para o agronegócio e possuem lastro em empréstimos concedidos a produtores ruais ou cooperativas.
  35. 35.
    LCI: Letra de Crédito Imobiliário é um tipo de investimento em renda fixa isento de Imposto de Renda. É lastreada na carteira de empréstimos relacionados ao setor imobiliário mantida pelas instituições emissoras.
  36. 36.
    Debêntures: Títulos de crédito emitidos por empresas e negociados no mercado de capitais. Lembra o investimento em Tesouro Direto, entretanto, ao invés de emprestar dinheiro para o governo, o investidor empresta dinheiro para uma empresa expandir suas operações.
  37. 37.
    Tesouro direto: Tipo de investimento criado pelo Tesouro Nacional, órgão que administra a dívida pública no Brasil, que permite que o investidor empreste dinheiro ao governo.
  38. 38.
    Poupança: Aplicação de renda fixa de elevada liquidez, acessível até para menores de idade, desde que autorizado pelo responsável legal.
  39. 39.
    Operações a termo: Acordo de compra e venda de ações em uma data agenda e por um valor combinado previamente. Ao final do prazo, o investidor paga pela ação e recebe os rendimentos do período.
  40. 40.
    Exercício de subscrição: Benefício que assegura aos atuais acionistas de uma empresa o direito de ter preferência na hora de adquirir novas ações emitidas para manter a mesma proporção da posição em que ele está.
  41. 41.
    Exercício de opções: O titular d opção detém o direito de comprar ou vender em data e horário específico e pré-definidos.
Dicas para começar
  1. 1.
    Lançamentos: Os lançamentos são os registros das suas movimentações financeiras. A partir deles é que são calculados os saldos das contas, os resultados mensais e as metas. Seus lançamentos podem ser cadastrados no Meu Dinheiro através do botão de adicionar lançamentos, a partir do processo de importação de lançamentos, importação de extrato ou de importação da fatura do cartão de crédito.
  2. 2.
    Saldo: Diferença entre o crédito (valor em conta) e o débito (valor gasto) que determina o valor total disponível numa conta bancária.
Contas
  1. 1.
    Balanço patrimonial: Relatório que apresenta a situação financeira em um determinado momento.
  2. 2.
    Patrimônio: Conjunto de bens, direitos e obrigações de posse de ma empresa ou pessoa.
  3. 3.
    Conta bancária: São as representações no sistema das contas bancárias reais, que podem ser acompanhadas na tela de extrato.
  4. 4.
    Extrato: é um relatório contendo informações sobre a movimentação e o saldo de uma conta bancária. É o documento que ajuda a controlar a conta corrente. Através dele, é possível obter todas as informações sobre as movimentações ocorridas em sua conta bancária num determinado período.
  5. 5.
    Cartão de crédito:
  6. 6.
    Fatura: é a relação e o valor de todas as compras feitas com o cartão de crédito durante o mês.
  7. 7.
    Conta de investimento: São as representações de suas aplicações financeiras, poupança, contas em corretoras, fundos, etc, que devem ser gerenciadas no módulo de investimentos.
  8. 8.
    Aplicação: é um investimento. A aplicação não é o produto financeiro em si. O produto é o título ou o ativo oferecido pela instituição financeira, como uma ação de uma empresa, um fundo de investimento, um CDB etc.
  9. 9.
    Corretora: a corretora de investimentos é uma instituição financeira, responsável pelo intermédio do investidor com o mercado financeiro. Através dessas empresas, é possível adquirir produtos financeiros, como títulos públicos, CDBs, cotas de fundos de investimentos, ações e outros.
  10. 10.
    Contas dinheiro: Servem para o controle do dinheiro em espécie, podem representar a carteira de uma pessoa ou dinheiro em caixa de uma empresa.
  11. 11.
    Ativo: os ativos são os bens, como o dinheiro na carteira, imóveis, automóveis e os direitos (ou seja, as dívidas a receber).
  12. 12.
    Passivo: os passivos são as obrigações, isto é, as despesas feitas, que constituem o contas a pagar, podem ser desde despesas pessoais até impostos pagos ao governo, por exemplo. A principal diferença entre os ativos e passivos estão nos fluxos monetários. Enquanto os ativos são relacionados aos meios de rendimentos e que trazem benefícios, os passivos são saídas de dinheiro pelos gastos e despesas.
Centros
  1. 1.
    Centro: Pode ser usado para agrupar lançamentos de diferentes categorias. Por exemplo: crie centros para saber seus gastos por cada filho ou animais de estimação.
Projetos
  1. 1.
    Projetos: São usados para controle de receitas e despesas grandes e temporárias, como, por exemplo, uma viagem de férias ou a reforma da casa.
  2. 2.
    Tags: As tags são como etiquetas que podem ser associadas aos seus lançamentos. Você pode defini-las com um nome que te ajude a identificar mais fácil os seus lançamentos no Meu Dinheiro.
Cartões de Crédito
  1. 1.
    Saldo de caixa: é um resultado financeiro, mede o quanto a você tem de dinheiro ou o equivalente disponível em determinado período. O saldo é a diferença entre as entradas (receitas) e as saídas (despesas).
  2. 2.
    Limite total: o limite disponível = limite de crédito - saldo devedor total do cartão;
  3. 3.
    Limite mensal: o limite disponível = limite de crédito - valor da fatura no mês;
  4. 4.
    Limite indefinido: o limite disponível é indefinido.
  5. 5.
    Parâmetros da fatura:
  6. 6.
    Fechar fatura: quando a sua fatura do cartão de crédito é fechada, significa que as próximas compras feitas no cartão já estarão na próxima fatura a ser paga, geralmente a do mês seguinte a que está fechada.
  7. 7.
    Lançar pagamento: fazer o pagamento daquela dívida, podendo ser de cartão de crédito ou de alguma despesa já pré definida.
  8. 8.
    OFX: significa Open Financial Exchange, ou Intercâmbio Financeiro Aberto. O formato foi criado pelas empresas Microsoft, Intuit e CheckFree, que anunciaram a novidade em 1997. Até hoje, é o tipo de arquivo mais utilizado para exportar o extrato bancário de sistemas de internet banking.
  9. 9.
    Conciliação da fatura/extrato: é uma verificação mais detalhada a fim de saber com certeza se os valores cadastrados no Meu Dinheiro estão exatamente iguais aos que estão na operadora do cartão.
Lançamentos
Tipos de lançamentos
  1. 1.
    Receitas: é tudo o que você recebe nas suas contas, como por exemplo: o seu salário, o dinheiro recebido pela venda de alguma coisa, ou por ter feito algum serviço, ou quaisquer outros recebimentos que afetem positivamente o seu balanço financeiro e patrimonial;
  2. 2.
    Despesas: são as saídas de recursos como, a conta de água, energia, impostos, etc, que afetem negativamente o balanço financeiro e patrimonial;
  3. 3.
    Transferências: são as movimentações financeiras que não afetam o balanço financeiro e patrimonial, como por exemplo: um saque de uma conta bancária deve ser registrado como uma transferência da conta corrente para uma conta carteira, por exemplo.
  4. 4.
    Lançamentos detalhados: são lançamentos cujo valor pode ser dividido em um conjunto de receitas, despesas e transferências, que podem pertencer a categorias, centros, contatos ou projetos diferentes e geram apenas uma entrada ou saída em uma determinada conta.
Status de lançamentos
  1. 1.
    Agendados: lançamentos não confirmados e com data no futuro.
  2. 2.
    Pendentes: lançamentos não confirmados e com data no passado;
  3. 3.
    Confirmados: lançamentos que já aconteceram, com data no passado e confirmados por você no Meu Dinheiro;
  4. 4.
    Conciliados: lançamentos que já aconteceram, com data no passado, e que já foram verificados junto ao extrato de seu banco, por você ou via importação de extratos no Meu Dinheiro;
  5. 5.
    Não Conciliados: lançamentos ainda não verificados junto à fatura do cartão;
Repetição de Lançamentos
  1. 1.
    Lançamentos únicos: lançamentos sem repetição;
  2. 2.
    Lançamentos Parcelados: lançamentos com uma quantidade de repetições (parcelas) definidas;
  3. 3.
    Lançamentos Fixos: lançamentos que se repetem por tempo indefinido;
Gerenciar lançamentos
  1. 1.
    Inclusão de lançamentos: é o ato de cadastrar receitas, despesas ou transferências no Meu Dinheiro.
  2. 2.
    Importação de lançamentos: é a ação de importar as suas despesas, receitas ou transferências para o meu dinheiro a partir do seu extrato bancário.
  3. 3.
    Reconhecer lançamentos: é reconhecer que o valor e a data do lançamento j estão corretos.
  4. 4.
    Confirmar lançamentos: a confirmação de um lançamento apenas muda o seu status de "pendente" ou "agendado" para "confirmado".
  5. 5.
    Conciliar lançamentos: é conferir se o valor que foi cadastrado no lançamento é o mesmo no Meu Dinheiro e na sua fatura do cartão e/ou extrato do banco.
  6. 6.
    Editar lançamentos: é ajustar quaisquer informações do seu lançamento.
  7. 7.
    Excluir lançamentos: é deletar aquele lançamento do Meu Dinheiro.
  8. 8.
    Clonar lançamentos: é gerar outro lançamento com todas as informações do lançamento a ser clonado.
  9. 9.
    Emitir o recibo de lançamentos: é possível emitir um documento comprovando o pagamento ou recebimento de qualquer valor. Os recibos são gerados a partir dos dados cadastrados no Meu Dinheiro, mas podem ser totalmente editados e, após sua emissão, ficam vinculados ao lançamento e podem ser gerados novamente, caso necessário.
  10. 10.
    Estornar lançamento: os lançamentos confirmados ou conciliados podem ser estornados. O estorno tem por objetivo gerar um novo lançamento com a mesma categoria de receita ou despesa do lançamento original, mas com o valor invertido.
  11. 11.
    Exportação de lançamentos: A exportação de lançamentos pode ser feita de qualquer tela, relatório ou resultado da busca, marcando os lançamentos desejados e utilizando a função de exportação a partir da barra de ações em lote.
Importar lançamentos
  1. 1.
    xls/xlsx: São formatos de arquivos de planilhas do Excel, sendo o xls um formato mais antigo (utilizado nas versões 97-2003) e o xlsx utilizado nas versões mais recentes. Este tipo de arquivo pode incluir peças estatísticos e numéricos de dados que são rotulados com texto. Também podem ser arregados gráficos e imagens.
  2. 2.
    csv: Tipo de arquivo denominado Valores Separados por Vírgula. É um tipo especial de arquivo que, em vez de armazenar informações em colunas, armazena informações separadas por vírgulas. É um tipo de arquivo que facilita transferir os dados entre plataformas distintas.
  3. 3.
    QIF: Tipo de arquivo usado ​​para transferir dados entre diferentes arquivos do Quicken ou do sistema de uma instituição financeira para Quicken software.
  4. 4.
    PDF: Formato Portátil de Documento é de tipo de arquivo desenvolvido pela Adobe. É ideal para visualizar e imprimir documentos sem perder a formatação original.
Visão geral
  1. 1.
    Barra de topo: Barra que fica no topo do sistema do Meu Dinheiro. Ela dá acesso ao menu principal (visão geral), ao seletor de moedas (caso a sua conta tenha mais de uma moeda cadastrada), à lupa para busca de lançamentos, ao suporte do Meu Dinheiro (fale conosco), ao manual de ajuda, ao programa de indicação, e as suas configurações de conta e plano.
Extrato de contas
  1. 1.
    Cheque especial: Crédito disponível na conta corrente para utilização em situações emergenciais quando não há saldo positivo na conta corrente.
  2. 2.
    Conciliação de extrato: A conciliação dos seus lançamentos cadastrados no Meu Dinheiro com o seu extrato bancário garante que os seus registros financeiros estejam sempre de acordo com o que foi registrado no banco.
Metas de orçamento
  1. 1.
    Situação confirmada: as metas são apuradas considerando apenas os lançamentos com o status de confirmados e conciliados.
  2. 2.
    Situação projetada: as metas são apuradas considerando todos os lançamentos, independente do status. Neste caso, os lançamentos pendentes são todos considerados no mês vigente.
Ferramentas Avançadas
  1. 1.
    Propostas comerciais: Possibilita fazer o gerenciamento de ofertas ou negociações para clientes de forma fácil de objetiva (disponível nos planos empresariais).
  2. 2.
    Fechamento de posição: Ato inibir modificações nos lançamentos do sistema a partir de uma determinada data. Com a posição fechada, o sistema não permite mais realizar atualizações financeiras com datas menor ou igual à data de fechamento.
  3. 3.
    Integração contábil: A partir do plano Empresarial 2, é possível configurar o plano de contas do seu sistema contábil e facilmente relacionar as contas contábeis às categorias, contas e centros do Meu Dinheiro, de forma a gerar um arquivo com a movimentação financeira para a importação no sistema de contabilidade.
Configurações do usuário
  1. 1.
    Autenticação Multifator (MFA): garante uma camada de proteção a mais ao processo de login do Meu Dinheiro. A diferença na hora de fazer o login é que, com essa proteção adicional, será preciso digitar um código extra, de seis dígitos, após a digitação do email e senha de acesso.
Last modified 1mo ago
Copy link